Cursos de Internet e Empresas Web Startups: Mercado

Gostaria de falar um pouco sobre como comecei a empreender na web. Quando estava no terceiro ano, em 2005, praticamente não se falava em cursos tecnólogos, só fui saber que existia isto um tempo depois. São cursos altamente práticos, voltados ao mercado, e de rápida duração, geralmente no máximo dois anos e meio.

Sempre me perguntam porque não fiz ciência da computação, no entanto os cursos que tem mais a ver com web são os tecnólogos. Sei que existem três, o de Desenvolvimento Web, Redes e Produção Multimídia. Apesar de terem mais a ver com internet que o de Ciência da Computação ou Sistema de Informação, eles assim como todos também não estudam nada sobre software livre e ainda que práticos, não chegam nem perto de satisfazerem as necessidades do mercado web. Não é segredo para ninguém que já trabalha a mais tempo, que os cursos superiores estão em sua grande maioria muito defasados e algumas profissões, por irresponsabilidade do governo, como a de professor por exemplo, representam um risco muito grande de passar apertos financeiros.

Mercado web: muitas dificuldades mas promissor
Mercado web: muitas dificuldades mas promissor

Quando me formei no segundo grau e ainda hoje, meu desejo sempre foi trabalhar com vídeo. Por isso prestei vestibular para Áudio Visual na USP, mas na segunda etapa rolou uma prova específica sobre cinema, que nem sabia direito que existia, então não fui aprovado. Também havia prestado vestibular para comunicação e jornalismo na UFJF, mas como passei caneta na prova de física apenas nas respostas acabei zerando e sendo reprovado. Morei mais um tempo em Juiz de Fora fazendo cursinho no CAVE do calçadão, mas decidi entrar logo no meio do ano na UNILESTE-MG, uma particular da minha região que disponibilizava o curso de Publicidade e Propaganda, que diziam ter mais a ver com web.

Na minha primeira tentativa de graduação, até tive umas aulinhas sobre Photoshop, mas bem fraquinhas, então fiz alguns cursos  de Internet na Microlins, que foi a minha base. Nesta mesma época comecei a dar aulas particulares, no início de todas as matérias, depois só de matemática e física. Após um tempo, decepcionado com a graduação e sem maiores perspectivas como professor particular, descobri o curso tecnólogo de Produção Multimídia na UNI-BH. Mudei para Belo Horizonte com um carro antigo, um Puma de 82, que havia comprado com a grana das aulinhas e um empréstimo do meu pai, convencido pela minha mãe a me emprestar para que eu não acabasse comprando uma moto e sofrendo um acidente… Com um mês em BH consegui vender o carro. Com a grana entrei na Bolsa de Valores, ficava na corretora toda a manhã estuando o mercado, comprava EXAME e Você/SA sempre. Junto a empreitada como acionista, comecei alguns cursos no centro de treinamento da ADOBE, um estágio à tarde na Linke-se.com, agência web especializada em sites Flash para o mercado de festivais de cinema, e a noite ia para a faculdade. Não demorou muito para eu me convencer de que aprendia muito mais no estágio e nos cursos da ADOBE que na graduação, e que era muito trabalhoso ficar atravessando o centro de BH todo horário de rush, por isso acabei largando mais uma graduação.

Após sair da faculdade fiquei apenas no estágio, nos cursos da ADOBE e na bolsa de valores. Então tudo mudou novamente, a Linke-se.com se fundiu à Aliás, uma grande agência de publicidade em BH e eu fui junto. Lá trabalhávamos com sistemas proprietários desenvolvidos em PHP, nada de sites em Flash desenvolvidos em Action Script integrados a um banco de dados com a linguagem de programação ASP da Microsoft, concorrente da linguagem livre PHP. Nesta época a crise imobiliária dos EUA estourou e uns corretores haviam me passado pra trás, me convencendo a fazer um mal investimento, para eles ganharem uma mixaria de comissão, o resultado foi que os 7 mil com que entrei na bolsa depois que vendi o carro, após virarem 13 mil antes de seis meses acabaram se reduzindo para 11 mil em duas semanas, foi então que vendi todas as ações, fiz cirurgia de miopia e comprei um terreno em Canaã dos Carajás no Pará, o que sobrou foi uns dois e alguma coisa, que devolvi pro meu pai. Mas a cirurgia não deu muito certo e uso óculos ainda hoje, acho que o médico me passou pra trás também. Depois procurei saber e parece que não é correto fazer correção aos 19, 20 anos.

Depois que saí da Bolsa de Valores e já estar de saco cheio de morar na cidade grande, também saí da Aliás e fiquei apenas na ADOBE e estudando por conta própria o tal do software livre e como ganhar dinheiro e audiência na web, estava convencido de que este era o futuro. E realmente sites em Flash hoje em dia são apenas para alguns mercados e sites desenvolvidos com plataformas proprietárias estão diminuindo cada vez mais, minha aposta é que mesmo sistemas mais robustos passarão a ser desenvolvidos em softwares livres também, por isso já disponibilizo plataformas de educação à distância e e-commerce em WordPress pela minha empresa, a Cultura Livre.

Quando terminei 15 cursos no centro ADOBE, o que me custou quase uns 10 mil reais, sem contar as despesas para me manter em BH, passei no vestibular de Administração na UFV e vim todo contente. Aqui já trabalhei na Studium, agência de publicidade líder na região e no CPT, líder nacional no ramo de vídeo aulas, empresa na qual tive a certeza do quão bom eu sou em audiência on-line e Adwords, o sistema de publicidade on-line automatizada da Google. Registrei minha empresa pela nova lei do empreendedor individual e atualmente faço graduação e dou suporte a alguns clientes.

Fiquem ligados nos próximos textos, me aprofundarei mais sobre os problemas corporativos, as dificuldades de se abrir uma empresa junto às surpresas do mercado, compartilharei alguns conhecimentos técnicos mais detalhadamente e o porque se deve optar por um software livre ao se desenvolver alguns sistemas.

Vídeo sobre a História da Internet

Vídeo sobre o conflito de gerações antes e pós web

E vocês? O que tem a dizer sobre o início da vida profissional? Por favor compartilhem conosco nos comentários.

Publicado por

Diego Lopes

Graduado em admnistração pela UFV, atua na como coordenador de projetos web há mais de dez anos. Já trabalhou em 3 empresas no Vale do Silício e gerenciou mais de 1 milhão no Google Adwords e 100 mil dólares no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *