Tecnologias Sustentáveis e Livres

Atualmente toda empresa quer marcar presença na web. Para isto, é preciso um site, o que implica em custos de desenvolvimento com perca de foco no produto principal, pois é necessário perder tempo com contratação, planejamento e gerenciamento. Além do que, um conhecido problema da área tecnológica é o não conhecimento do contratante sobre o assunto, o que resulta em funcionários não contratados corretamente e que muitas vezes não fazem o trabalho direito, só sabem enrolar.

Para resolver este problema, o software livre é uma boa pedida. Além de já vir com várias funcionalidades prontas que dispensam o serviço de base, eles tem uma documentação bem completa, que muitas vezes não é feita corretamente com o software proprietário desenvolvido dentro da empresa, principalmente quando o software não é o produto de venda.

O software livre quando apoiado por uma grande comunidade, sempre vai ser de maior qualidade que o software proprietário, principalmente em novos e abertos mercados como o da web, em não há um monopólio como o da Microsoft.

O sistema de desenvolvimento de um software livre é colaborativo. Geralmente uma empresa mantenedora, que lucra prestando serviços e consultorias relacionadas ao software aberto, disponibiliza uma equipe fixa que desenvolve o core, além de contar com ajuda da comunidade de desenvolvedores colaboradores usuários que desenvolvem os plugins ao mesmo tempo em que testam tudo. O feedback de erros e acertos encontrados no teste é mais rápido do que no desenvolvimento de um software proprietário, em que o ambiente de simulação de uso, na maioria das vezes, não corresponde ao ambiente real.

A sustentabilidade entre empresa e funcionário é outro fator positivo do software livre. Pois, o mesmo software que o programador desenvolve pode ser usado por ele em seus próprios empreendimentos. Além disso, o programador pode colocar as funcionalidades desenvolvidas dentro da empresa, disponíveis para outros desenvolvedores em forma de plugins em seu blog pessoal. Através da audiência obtida por ele pela disponibilização do plugin em seu blog ele pode lucrar com publicidade e outros modelos de negócios relacionados à audiência de nicho.

Muitas vezes o empresário tem medo do software livre por achar que ele não protege os segredos da empresa, o que é uma falácia. Pois o software livre não precisa ser todo aberto, as partes que forem segredos corporativos considerados vitais ao desenvolvimento das atividades, podem permanecer em código fechado. Além do mais, é importante ressaltar o valor da sustentabilidade em um país em desenvolvimento. Pois, não adianta nada ter dinheiro numa nação de analfabetos moribundos, não terá ninguém para te oferecer serviços de qualidade!

Publicado por

admin

Graduado em admnistração pela UFV, atua na como coordenador de projetos web há mais de dez anos. Já trabalhou em 3 empresas no Vale do Silício e gerenciou mais de 1 milhão no Google Adwords e 100 mil dólares no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *