A Importância da Internet na Educação, Sociedade e Trabalho

É incrível como o ser humano mesmo possuindo diversas tecnologias que não existiam antes, continua a fazer algumas coisas do mesmo modo que 500 anos atrás. Tudo bem demorar um pouco a aprender como usar as novas ferramentas, mas 500 anos é muita coisa!

A televisão e o vídeo cacete já existem a um bom tempo e mesmo assim as escolas não produzem nem reproduzem vídeo aulas, e praticamente não usam a internet na educação. Será que o governo acredita que num país com 190 milhões de pessoas e milhares de professores, é realmente possível manter um padrão de qualidade? Não, não é. Apesar de todos defenderem a profissão de professor, e concordo que eles deveriam ganhar pelo menos o dobro já que o piso gira em torno de R$ 1200, não é verdade que todos são bons. A maioria das pessoas são incompetentes nas áreas em que atuam e o salário pode ajudar na frustração.

Eu passei em Administração na UFV assistindo o Telecurso 2000 no Youtube. Tudo bem que tive uma boa base, mas com certeza o Telecurso fez a diferença e o considero muito melhor que 80% das aulas que tive na vida. Um curso em vídeo, produzido por diversos profissionais de várias áreas, é claro que tem grandes chances de ser melhor que a aula produzida por apenas uma pessoa. E o que dizer dos maravilhosos documentários que nunca foram nem citados nas escolas? A impressão que dá é que alguns professores creem que sua voz de veludo, impacta muito mais que as produções cinematográficas e as imagens reais da segunda guerra :-/

Internet: Educação-Sociedade
A Internet na Educação e Governo Muda o Mundo

E o que dizer sobre o sistema CAPES para o aumento do salário dos professores baseado na produção de artigos pobres e que ninguém lê? No mínimo ridículo, pois existe uma coisa chamada blog! Através dele é possível rentabilizar o conteúdo postado e promover os aumentos salariais baseados na qualidade do artigo, que poderia ser medida pela audiência e comentários gerados. Isto diminuiria o tempo de trabalho do professor e aumentaria sua escalabilidade de ganhar dinheiro. Eu mesmo comprei um carro com a grana do meu blog, que já não era atualizado a uns três anos e mesmo assim insistia em me render uns 150 dólares por mês.

No momento, lendo minhas ideias compartilhadas aqui, me bate uma angústia de ver como algumas coisas podem ser simples, mas por ignorância de governantes se estendem por séculos. Estes, os principais culpados por tudo, nem discutem a necessidade de uma integração entre os departamentos de governo via software livre. É inacreditável que cada universidade pública tenha uma equipe de umas 50 pessoas para desenvolverem um software proprietário desintegrado de tudo em pleno órgão federal. E o governo ainda tem a audácia de lançar um selo de qualidade para software brasileiro, o MPS.br, sendo que já existe um internacional, o CMMI. E o pior é que alguns engenheiros acham a iniciativa bonita. No mínimo falta a eles estudar história, para saber que atitudes protecionistas da década de oitenta ou mais antigas, em que computadores não podiam ser importados, acabou dando em merda.

Para registar minha empresa pelo modelo de Empreendedor Individual, tido como mais simples que o SIMPLES, precisei ir ao SEBRAE, que não soube dizer qual era a minha atividade econômica no CNAE (Classificação Nacional das Atividades Econômicas). Portanto, de lá fui ao contador contando com a sorte, que não me fez valer o trabalho inicial, apenas me perder num imenso retrabalho retrocesso. Pois o contador também não sabia o que escolher no CNAE, que não possui a profissão de webdesigner ou coisa parecida, mesmo existindo há uns 20 anos e sendo extremamente característica de empreendedores individuais. O resultado foi a necessidade de refazer tudo e, para a minha surpresa, reenviar todos os documentos a cada um dos órgãos envolvidos no processo, até mesmo preencher o nome da minha mãe num documento que já constava meu número de identidade.

As escolas deveriam aumentar o uso da tecnologia na educação, se integrar mais ao mercado, desenvolverem produtos multimídia e serem patrocinadas pela audiência gerada em trabalhos escolares postados no blog, o qual os professores teriam porcentagens. O governo, deveria ter apenas um núcleo de desenvolvimento baseado em softwares livres, abertos à reutilização de quem quisesse. Os impostos e vagas públicas poderiam ser compartilhadas automaticamente no Facebook, através de um aplicativo de simples desenvolvimento. E os políticos deveriam fazer mais marketing político na internet, o que baratearia suas campanhas e evitaria a “necessidade” de corrupções posteriores. Enquanto isto não acontece, vou ficando na minha, desenvolvendo de mansinho estes conceitos e os incrustando em minha empresa web e produtos.

Os problemas do sistema educacional no Brasil e no mundo

Vídeo que fiz sobre minha opinião sobre os principais problemas da educação no Brasil e do sistema educacional como um todo.

Documentário sobre a História da Internet – Discovery

[tubepress mode=”playlist” playlistValue=”CzlU9INKZhuFzX2LoM-Fdj3bkZbr08B0″]

E vocês? Em que acham que a internet poderia ser usada para melhorar as instituições do governo e da sociedade? Por favor comentem! Obrigado.

Publicado por

admin

Graduado em admnistração pela UFV, atua na como coordenador de projetos web há mais de dez anos. Já trabalhou em 3 empresas no Vale do Silício e gerenciou mais de 1 milhão no Google Adwords e 100 mil dólares no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *