Problemas da Campus Party Brasil 2009

Acabei de receber um email do Felipe Maia, jornalista da Folha online, me perguntando o que considero ter sido o melhor e o pior da Cparty Brasil 2009. Foram tantas coisas boas que é até difícil de reponder. Mas as ruins foram: os problemas com os seguranças, a falta de apoio pro pessoal do meio ambiente e os palestrantes da área do Campus Blog.

Quanto ao problema com os seguranças já até escrevi um post sobre a agressividade deles aqui no blog.

Em relação ao pessoal do meio ambiente, poderia ter tido uma divulgação maior, tanto pelo próprio evento quanto pelo pessoal da mídia tradicional.

No meio de tanta tecnologia computacional há quem se esqueça de que, na verdade, a Cparty é um evento não só tecnológico e de comunicação, como também social. Ele procura trazer os valores defendidos pelo software livre para gerar uma cultura livre. E a cultura livre engloba tanto projetos como Linux quanto do Telecurso 2000. Ambos rompem com monopólios, sendo na maioria das vezes melhor. O software livre(Linux) tem como arquiinimigo o Windows, e a faculdade livre(Telecurso) o Pitágoras, que na verdade não é mais um produtor de conhecimento, e sim uma editora muito poderosa. A cultura livre encontra-se com o meio ambiente quando ela também tem como preocupação a qualidade de vida. E foi aí que o evento se perdeu um pouco. As discussões a respeito da mudança social e de sua melhoria, em função de novas tecnologias, aconteceu mais entre os campuseiros do que nas oficinas. Se for pra Cparty ser apenas um evento tecnológico não precisa existir, pois o de Porto Alegre dá conta do recado e completará 10 anos em 2009.

Espero ver na próxima Cparty um plano de defesa e ampliação das matas não só de São Paulo como de todo o país. Cadê as duas mil árvores que eles tinham prometido plantar durante a semana?

Outro problema que tivemos foi o despreparo de alguns palestrantes do Campus Blog, que na verdade não eram blogueiros. Eram apenas jornalistas, competentes digam-se de passagem, migrando da mídia tradicional para a internet. Mas a maioria não sabia nada sobre plataformas de gerenciamento de conteúdo ou medição de audiência. Escrevi mais detalhadamente sobre o assunto neste post.

Ah é, já ia me esquecendo. Outra coisa de ruim, e ao mesmo tempo engraçada da Cparty foi o Gilberto Gil. Desde que ele chegou não calou a boca um minuto, fazia de tudo pra ficar o máximo de tempo possível na mídia. Falou sobre engenharia, administração, programação, desenvolvimento social e econômico, e ainda conseguiu juntar tudo isso com sua história de vida e dar uma aula sobre o cosmos e espiritualidade. Ele estava se achando o Hacker da parada!

Publicado por

Diego

Graduado em admnistração pela UFV, atua na como coordenador de projetos web há mais de dez anos. Já trabalhou em 3 empresas no Vale do Silício e gerenciou mais de 1 milhão no Google Adwords e 100 mil dólares no Facebook.

3 comentários sobre “Problemas da Campus Party Brasil 2009”

  1. Já eu adicionaria outras coisas aos ‘defeitos da CParty’, como a estrutura do local onde acampávamos e os banheiros.
    Sobre o GGil, não o vi nenhuma vez na CParty… rs

  2. Pô que sorte hein kra hehehe! Quisera eu ter tido, sei lá, uma caganeira durante o tempo que ele estava lá pra n ter q escutar tanta merda. Até os seguranças, que não tinham muito senso de humor, estavam zuando ele rsrs…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *