Porque se trabalhar num escritório Coworking na era da internet

Porque trabalhar num escritório coworking
Porque trabalhar num escritório coworking

Quando era mais novo sempre que falava que ia ter um sócio com meus pais, eles me diziam que sócio era problema, sócio era só dor de cabeça, sociedade é só marido e mulher e olhe lá.

Apesar de eu ver graça nesta frase porque dor de cabeça seria principalmente e apesar de ser marido e mulher que realmente daria dor de cabeça, eu não acho que ela esteja de todo errada. Sociedade é sim uma grande dor de cabeça para muitos.

Talvez seja por isto que surgiu o tal Cowroking, que passou outro dia no Jornal da Globo com uma loira mitida falando que era um conceito muito moderno, que trouxe da Europa e blábláblá

Somente no Brasil que isto é moderno, porque só agora, algumas camadas da população tiveram acesso à banda larga.

Mas ainda sim, quando se fala em coworking, pensa-se numa grande lanhouse com um monte de trabalhador de todo tipo junto, e logo se fica atordoado(a) com a ideia ;-)

Pois fique sabendo que Coworking siginifica apenas sociedade para pessoas que estão no ramo em que uma micro empresa pode funcionar apenas com um telefone, notebook, internet e uma sala para reuniões casuais.

Se você for uma destas profissões apenas, freela de design, programador de sites, especialista em SEO, publicitário, Marketeiro Web,  editor de vídeo, editor de imagens, produtor multimídia ou administrador de negócios web. Ou detiver algumas destas empresas, site de relacionamento, site de vendas, site sobre saúde, site sobre qualquer outra coisa que ganhe dinheiro com publicidade, você DEVE (se não estiver satisfeito, claro) procurar trabalhar num escritório Coworking.

No Coworking, outro ponto importante é que vocês não dividem o negócio, apenas somam, pois no Coworking não há necessidade de disputar clientes e seus acordos são muito versáteis.

Se você acha que dividir o aluguél, já é ter um sócio, não divida o aluguél. Se acha que dividir a internet é ter um sócio, não a divida. Se acha que dividir qualquer outra coisa se não a luz é ter um sócio? Então não divida! Divida apenas a luz e some os conhecimentos um do outro.

Com certeza num ramo em que tudo muda muito rápido, em que muitos backlinks são importantes, e que os valores variam de fortunas a mínguos cents por dia com adsense, somar conhecimento tecnológico e estratégico não é de se dizer não.

O investimento inicial é, contas abertas em vários fórums, redes sociais e microbloggin, algum site de pequeno à médio porte, alguma experiência numa das áreas ao entorno da Web, 100 dólares para o Market Samurai, e 50 dólares para o Social Poster.

No ramo Web em que os investimentos inciais são relativamente baratos (sem contar com os cursos claro), experiência é o principal. É a partir da experiência que nascem as análises de gráficos diários de comportamentos, audiência, cliques, valores, tendências, número de backlinks e etc. É também com experiência que se sabe qual a melhor tecnologia adotar, estratégia ou modelos de negócios.

Outro ponto importante a se lembrar e que parecemos esquecer em tempos de internet, é que nem toda a informação que recebemos e que é importante vem da web. As reveistas especializadas também representam conteúdo que temos de saber, apesar de muitas vezes numa revista de 60 páginas não ter nem 10 realmente interessante, precisamos estar atentos ao que a concorrência anda lendo ;-)

Publicado por

Diego

Graduado em admnistração pela UFV, atua na como coordenador de projetos web há mais de dez anos. Já trabalhou em 3 empresas no Vale do Silício e gerenciou mais de 1 milhão no Google Adwords e 100 mil dólares no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *